sábado, 27 de junho de 2009

Socializando os Acontecimentos

Coeduca na Semeia 2009
A Semana do Meio Ambiente na cidade de Campinas foi marcada por vários eventos e atividades. A estação Guanabara é um dos exemplos a ser citado como “palco” de exposições, atividades e palestras que aconteceram durante a semana. Uma equipe técnica do Centro de Controle de Campinas Zoonoses, Márcia, Florisa, Wellington, estavam com um estande montado com exposição de insetos, larvas e animais peçonhentos e entre outros, para explicar de forma educativa aos visitantes a importância de se conhecer os insetos, as larvas e os animais peçonhentos. Foram mostradas larvas do mosquito da dengue, na água e sem a água, uma verdadeira “aula” compartilhada com os visitantes que também falaram de suas experiências dolorosas em episódios marcados pela picada de escorpião, queimaduras por lagartas, aranha marrom, infectados pelo mosquito da dengue entre outros. Márcia falou sobre os procedimentos a ser seguidos caso alguém seja infectado por qualquer animal nocivo e orientou entrar no site http://www.ccz.campinas.sp.gov.br/ para conhecer mais os trabalhos que são realizados pelo CCZ. “O Centro de Controle de Zoonoses – CCZ – é uma Unidade de Saúde da Secretaria Municipal de Saúde e está vinculada administrativamente e tecnicamente à Coordenadoria de Vigilância em Saúde – COVISA”.
O despertar do interesse em saber mais contagiou quem ouviu suas explicações.
Dirce Fernandes Modesto
Coletivo Educador Ambiental de Campinas – Coeduca.

Coeduca na Semeia 2009



Palestra de Plantas Medicinais

Esteve também na estação Guanabara a pesquisadora e palestrante Maria Consolacion Fernandez da Embrapa/DF que falou de plantas medicinais, interagiu com os ouvintes esclarecendo dúvidas e respondendo as perguntas sobre os tipos de plantas, suas origens e poder de cura. A palestrante Maria Consolacion informou que 80% da matéria prima são importadas e essa matéria prima poderia ser conseguida aqui no país, só não se consegue devido às barreiras existentes. Que aconteceram vários encontros e seminários para sair o Decreto Nº 5813, 22/06/2006 que aprova a política nacional de Planta medicinal e Fitoterápico. Comenta também que já se avançou um passo para o uso seguro das plantas, porque hoje, podem ser tratadas as diretrizes.
Com muito entusiasmo que contagiava os ouvintes falou de como é rico a sabedoria e percepção dos pajés que se curam com o saber que eles têm, falou do Projeto Farmácias vivas, Farmácia da terra, da interação com o meio ambiente e a diversidade, dos padrões que estão adoecendo a humanidade, da responsabilidade socioambiental, das hortas medicinais nas escolas e como estão os programas de plantas medicinais e fitos terapêuticos no SUS.
Devido à greve dos professores da rede municipal professores e crianças não compareceram a essa valiosa palestra. Fica a questão: “Se as crianças não conhecem, elas não se sensibilizarão”.


Dirce Fernandes Modesto
Coletivo Educador Ambiental de Campinas
Fotos Dirce Fernandes Modesto
Foto: Kell´S & Vick
Bosque dos Jequitibas; Tenda do Saber.
É a semana do meio ambiente (semeia) foi muito interessante para todos os que participaram, não somente pela diversão que tivemos, pois podemos conhecer pessoas e seus projetos incríveis que talvez nunca teríamos a chance de conhece-los sem essa oportunidade oferecida pelo coeduca.
Nunca tinha imaginado que um dia saberia como fazer uma composteira, como reutilizar o óleo de cozinha fazendo sabão.
Enfim...
A semana do meio ambiente se foi mas não podemos deixar nossos projetos de lado, pois se cada um de nós fizermos um pouco que seja de tudo o que aprendemos lá na semana do meio ambiente já estamos fazendo o bem para que nossos netos e bis netos possam aproveitar o mundo e o meio ambiente como nós aproveitamos ou até melhor quem sabe.
Então galerinha vamos lá e não vamos deixar nossos projetos morrer, essa semana temos uma nova reportagem com o secretario do meio ambiente, vamos colocar todos os nossos objetivos nessa reportagem, pois só cobrando uma posição de quem devemos cobrar é que poderemos chegar em algum lugar.
Vamos tentar também nosso patrocínio para podermos ir no Rio de Janeiro e continuarmos com o nosso projeto, para podermos passar o máximo de informações possiveis sobre o meio ambiente para o maximo de pessoas.
Trabalhar como jornalista na semana do meio ambiente junto com o coeduca, me isentivou a ter mais curiosidade sobre tudo, pois só tendo essa curiosidade irei atrás para descobrir tudo o que eu posso.

sexta-feira, 26 de junho de 2009



Adorei, simplesmente adorei...Fazer parte desse projecto foi muito bom.Pois assim tive conhecimento para poder explicar as outras pessoas como o nosso Meio Ambiente é importante.O Meio Ambiente é muito importante.È preciso preservá-lo,é preciso mantê-lo vivo,pois sem ele somos um caminho perdido.Agradeço a todos os que me fizeram enxergar como a nossa cidade é linda,como Campinas ainda que tenha muita poluição tenha lugares como pude ver, e aprender sobre eles...Pena que tenha muita Poluição! Sabia que tem como reverte essa situação?Em um gesto de carinho e compreensão,onde cada um faça sua parte,preservando a Natureza e a si mesmo.!!

Fui repórter e isso fez com que eu me soltasse mais,assim aprendendo muito mais fácil...

Gente muito obrigado por tudo pela diversão,pelo conhecimento ,amizades,muito obrigado mesmo.

Um poema para a Semeia 2009

Poema de Ademilde Alves de Oliveira, do Coeduca, criado especialmente em homenagem aos participantes da Semeia:

NO SEMEIA NÓS VAMOS CAMINHAR,
COM AS PESSOAS QUE GOSTAM DE AMAR.
NOSSA TERRA MERECE NOSSA LUTA
QUE FAZEMOS PARA O PLANETA SALVAR

NÃO BASTA ESTUDAR O AMBIENTE
TEMOS QUE PRIMEIRO CONHECÊR-LO
EDUCAR COM AMOR E CONSCIÊNCIA
PRA SAIR DO ENORME PESADELO

O PLANETA JÁ VIVE EM AGONIA
DE SOFRER COM A AÇÃO HUMANA
EXPLORADO POR TODOS QUE OCUPA
SUA ESFERA TÃO NOBRE E TÃO BACANA

NOSSO AMOR PELA TERRA DEVE SER
DE PUREZA, BELEZA E ELEGÂNCIA.
POR MALDADE JOGAMOS SOBRE ELE
AS SUJEIRAS DA NOSSA IGNORÂNCIA

NÃO VIVEMOS SEM PRODUZIR SUJEIRAS
ISSO É DE ANOSSA NATUREZA
É LIMPAR E SUJAR AO MESMO TEMPO
COMO É QUE QUEREMOS TAL PUREZA?

OS VESTÍGIOS DO HOMEM DO PASSADO
DEIXA CLARA A LINHA PRA ONDE VAMOS
NOSSOS FRUTOS PERDIDOS SÃO SEMENTES
QUE SE COLHE CONFORME NÓS PLANTAMOS

FIM!!!

Ou será que é só o começo?!?!

sábado, 13 de junho de 2009

Impressões, admiração, entusiasmo!


A participação na SEMEIA foi daquelas coisas interessantes que acontecem na vida, que a gente “briga” para acontecer e não sabe no que vai dar. Sei que desde quando surgiu a possibilidade em uma reunião de fazer algo com a educomunicação (um dos itens que participei duas vezes no COEDUCA) e a Débora e a Cida falaram da cobertura, imediatamente pensei no Telêmaco, por dois motivos: precisávamos ganhar força e fôlego com a EA na escola e segundo, o mais importante, porque sempre acreditei que propiciar oportunidade para quem não tem é muito mais apropriado do que validar ações que já tem atenção.
Sempre que falamos em EA nas escolas, pensa-se em reciclagem e áreas verdes. Nós que estamos na região do CDHU sabemos o quanto isso é diferente lá, é uma região abandonada pelo grande-centro, sem área de lazer, sem verde (pelo contrário, a cor predominante é terra), muito lixo pelas ruas, comércio improvisado, muita exclusão, mas muita aptidão para mudar (como em qualquer lugar). Obviamente ali não é diferente da maioria dos bairros das regiões periféricas de Campinas, ou da minha própria cidade (Sumaré), mas quando você sente algo, um zelo pelo lugar onde trabalha, estuda ou frequenta, existe vontade e a responsabilidade de melhorar.
Não acredito que as pessoas sejam más gratuitamente, creio muito mais que elas ignoram informações e que a maioria das coisas que fazem prejudicialmente são no fundo alguma coisa para compensar algo que faltou de alguma maneira ou em algum momento. E nosso estilo de vida deixa faltar coisas fundamentais, deixa-se esvair os valores, deixa que eles se afrouxem para vivermos “indo”, buscando algo que nem sabemos o que é.
Pouca ou quase ninguém acreditava na capacidade de alguns ali naquela escola, não basta dizer que por ser uma comunidade simples, mas pior é o pré-conceito e o pré-julgamento feito pelos que se julgam “superiores”. Acho que com essa pequena amostra do que aconteceu nessa semana, pudemos ter a dimensão de diversas coisas, a persistência, a confiança das e nas pessoas, a responsabilidade, a fé, a competência, o companheirismo; acreditar que as pessoas tem muito para oferecer, basta dá-las a oportunidade para isso. Assim como eu tive a oportunidade de me encontrar na EA, assim como o filme “A corrente do bem”, não posso dar a voz a ninguém, mas posso dar meus ouvidos e meus olhos para o que elas querem e precisam e daí então ajudar a propor alternativas para compartilhar minha ajuda. A EA que acredito é isso deixar que aflore e o que há em nós, tratar como semelhante é respeitar, no mesmo plano. É reconhecer-se gente no outro, assim como dizia o poeta Vinicius de Moraes, em sua bela canção que compõe o vídeo: "Eu não existo sem você".
Vamos prosseguir, pois a caminhada é eterna e precisamos continuar, mesmo diante das milhares contradições que permanecem e que nos afrontam e desanimam por todo o caminho.

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Agora sou um semeador




Participar desse projeto foi incrível, uma experiência que jamais será esquecida, pelos bons momentos de diversão e pelo conhecimento adquirido. Conheci vários lugares que nunca tinha ouvido falar, pensava que toda a mata que existia já tinha sido tomada por ruas e prédios, mas ainda existem esses lugares e também pessoas que se preocupam com o meio ambiente e nessa semana eu pude aprender com eles como respeitar e cuidar da natureza. Mais importante do que adquirir todo esse conhecimento foi ter a oportunidade de passar essa sabedoria para todos nesse blog, fazendo as reportagens dos eventos. Ser um repórter também foi muito interessante, pois isso fez diferença para obter as informações e a participação além da própria acolhida do Coeduca e me tornei mais desinibido, para fazer perguntas e acompanhar as coisas. Quero agradecer muito pela oportunidade de participar de algo tão importante e também muito divertido, pois essa foi a vez que eu mais me diverti aprendendo.


Obrigado a todos ^^

terça-feira, 9 de junho de 2009

O que é sustentabilidade: um convite à reflexão

Tema muito falado, pouco entendido, sustentabilidade também foi discutido na Semeia 2009. Para ajudar um pouco na compreensão do tema, aí vai um texto publicado no site Planeta Sustentável:

Afinal, o que é sustentabilidade?
Luiz Carlos Cabrera

Sustentabilidade é a palavra que mais se ouve e se lê por aí — na administração, na economia, na engenharia ou no Direito. Mas, afinal, o que significa sustentabilidade?

Como bom mentor, vou tentar explicar de forma simples o conceito que já faz parte da vida moderna. Em primeiro lugar, trata-se de um conceito sistêmico, ou seja, ele correlaciona e integra de forma organizada os aspectos econômicos, sociais, culturais e ambientais da sociedade.

A palavra-chave é continuidade — como essas vertentes podem se manter em equilíbrio ao longo do tempo. Quem primeiro usou o termo foi a norueguesa Gro Brundtland, ex-primeira ministra de seu país. Em 1987, como presidente de uma comissão da Organização das Nações Unidas, Gro publicou um livreto chamado Our Common Future (Nosso Futuro Comum), que relacionava meio ambiente com progresso. Nele, escreveu-se pela primeira vez o conceito:

“Desenvolvimento sustentável significa suprir as necessidades do presente sem afetar a habilidade das gerações futuras de suprirem as próprias necessidades”. Note que interessante: a proposta não era só salvar a Terra cuidando da ecologia, mas suprir todas as necessidades de gerações sem esgotar o planeta. “Nem de longe se está pedindo a interrupção do crescimento econômico”, frisou Gro. “O que se reconhece é que os problemas de pobreza e subdesenvolvimento só poderão ser resolvidos se tivermos uma nova era de crescimento sustentável, na qual os países do sul global desempenhem um papel significativo e sejam recompensados por isso com os benefícios equivalentes.”

Parece que Gro Brundtland adivinhava a crise recente das economias do norte e já salientava o papel dos países emergentes, como Brasil, China e Índia. Para você, vale lembrar que a sustentabilidade se aplica a qualquer empreendimento humano, de um país a uma família.

Toda atividade que envolve e aglutina pessoas tem uma regra clara: para ser sustentável, precisa ser economicamente viável, socialmente justa, culturalmente aceita e ecologicamente correta. O desafio é enorme, envolve várias gerações e, por isso, você precisa estar ligado no tema.

Luiz Carlos Cabrera é professor da Eaesp-FGV, diretor da PMC Consultores e membro da Amrop Hever Group

domingo, 7 de junho de 2009

Agradecimentos dos alunos do Telêmaco


Bom pessoal a semeia terminou mas os repórteres do Telêmaco continuam aqui,

obrigado a todos por serem nossos leitores e amigos.

Agradecemos ao funcionário da Estação Guanabara Rinaldo,

aos alunos do Telêmaco e a todos que participaram da semana da Semeia.

por:Matheus Gonçalves,Mayara Caroline
foto do Bosque dos Jequitibás.

Cirquito Jequitibá



Iniciamos as atividades nesse domingo NO BOSQUE DOS JEQUITIBAS.
Aonde recebemos as informações que as placas informativas tapão os
monumentos históricos. Logo na frente do bosque.
Depois andamos ao redor do bosque para conhecemos certas espécies de árvores.
Vimos que certas árvores estão sendo prejudicadas pela chuva, pois suas raíses estão ficando expostas.
Vimos uma espécie de planta cujo nome é Lianas Trepadeiras que procuram a claridade,
Elas fazem um esquema de chegar até a claridade.
O Bosque dos jequitibas é uma árae que tem resquiços da mata Atlântica,
mesmo que seja pouco ha uma biodiversidade de animais e plantas,
e essas plantas ajudam a filtrar o oxigênio por que passa muitos automóveis pelo local.
O nome Jequitibás significa grande árvore por ser uma grande árvore.
Em 1888 quando seu proprietário Francisco Bueno de Miranda abriu
trilhos que ligavam a região central de Campinas até o parque.
Após a compra do bosque, a prefeitura campineira executou algumas obras para sua melhoria, tais como o calçamento de vias de acesso e a inclusão de atrações como o zoológico, o Museu do Bosque e um restaurante que oferecia matinês dançantes aos seus freqüentadores, nos finais de semana.
Em 1970, o Bosque dos Jequitibás foi tombado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico e iniciou nova fase de reformulação de seu espaço, com destaque para a inauguração do Teatro Carlos Maia.

sábado, 6 de junho de 2009

Circuitos Educadores - Fazenda Santa Elise



Existem momentos em nossas trajetórias que nos emocionam. Olhar para trás e ver, por quantos lugares passamos, quantas pessoas conhecemos. O passado, ou melhor, a memória, que nunca nos abandona, e que é repleta de referências de imagens, músicas, cheiros, sentimentos.

Passar pela Fazenda Santa Elisa foi um, desses momentos especiais, para dicar na memória, e reativar a memória de mim, que saí de Campinas e num vai-e-volta, tenho muita vontade de fincar de novo minhas raízes futuras aqui.

A Fazenda é administrada pelo Instituto Agronômico de Campinas, O IAC. Faz "fronteira" com bairros como o Costa e Silva e a estrada para Barão Geraldo. E guarda tesouros que, quando eu cá andava de bicicleta - num tempo que não tinha cerca e Campinas nem tinha tantos prédios, e nem tanta violência - e via jequitibás, sapucaias, cássias. São as mesmas árvores, muitas tem 100 anos.


Eu aqui não passava há 15 anos, e pra mim, o lugar parece o mesmo. Um refúgio, uma raridade em meio a uma cidade que cresce e que substitui a mata pelos prédios. As fazendas pelas avenidas. As ruas e as pessoas sentadas na calçada ou à janela, pelo medo, pela frieza.


A área da Fazenda Santa Elisa foi tombada pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Campinas, o Condepacc. Isso significa que faz parte, definitiva, da memória de nossa cidade, e deve ser cuidada ao máximo para que não ceda às pressões da metrópole que está querendo se expandir. Como acontece com tantos outros lugares de nossa história, como a Estação Guanabara, que também fez parte de minha infância/adolescência, e a de meus antepassados, e a da professora Rosenilze.


Participando dessa cobertura deliciosa, ainda que de longe, fico feliz de ver que alguns poucos jovens e crianças e adultos tiveram a oportunidade de vivenciar os circuitos propostos pela formação do Coeduca, e tantos outros lugares por onde passaram esta semana. Eu sou jovem também; tenho "somente" 35 anos e sinto que os cidadãos que vivem em Campinas não percebem o quanto temos de riquezas ambientais, sociais, culturais que precisam não só ficar na memória, mas perpetuarem-se por gerações...


A música da trilha sonora é de Almir Satter. Um poeta do Pantanal, bioma tão falado e valorizado. Mas o pôr-do-sol do filminho, é nosso. Valorizem o que nosso, pessoal. Nós temos muito a mostrar, a contar, a valorizar. A olhar - diferente!

Circuitos Educadores: conheça Campinas de um jeito diferente

A Semeia – Semana de Meio Ambiente de Campinas termina nesse domingo (7/6), mas ainda há tempo para participar de uma atividade que teve a participação do Coeduca: os circuitos educadores, onde monitores que passaram por uma formação estão guiando os visitantes por bairros e parques da cidade, convidando-os a ampliar o olhar sobre as questões socioambientais locais. É só chegar com 20 minutos de antecedência!

Parque das Águas – 9h/11h e 14h/16h
Saída da ponte no início da mata – o parque fica na continuação da av. Washington Luiz, no Parque Prado.

Bosque dos Jequitibás – 9h, 10h, 14h e 15h
Saída do portal principal do Bosque

Veja o video com fotos dos circuitos clicando
aqui.

Excursão na sujeira, mas por uma boa causa!



A atividade que participamos nesse dia 03 de junho, manhã gelada de quarta-feira foi o LixoTur, uma prática de Educação Ambiental realizada pelo DLU (Departamento de Limpeza Urbana), atividade que há muito gostaria de participar, mas somente hoje pude acompanhar.

Fomos recebidos pelo Sr. José Custódio, supervisor de Educação Ambiental do Departamento. Antes de começar a palestra (com a escola que participaria e já estava bem atrasada), ele disse que até esse mês, fazia-se 5 "passeios" por mês com as escolas públicas com o ônibus pago pela prefeitura, mas que está havendo uma reestruturação e esse ônibus gratuito vai deixar de existir _ em parte porque havia problemas como as escolas agendarem e não comparecerem, mas os "passeios" continuarão, desde que as escolas custeiem o transporte. Aliás, o tour não é feito somente com escolas, mas associações, condomínios etc. que queiram participar, os interessados devem entrar em contato com ele para agendar o monitoramento, restrito a um instrutor, que geralmente é o Sr. José Gonçalo, nesse dia excepcionalmente, o Sr. Custódio foi o monitor pois havia uma equipe de reportagem da TV Bandeirantes de Campinas acompanhando a atividade.

Muito interessante as etapas do processo do destino do lixo, a separação e toda a estrutura que existe para a existência do aterro. A montanha de lixo, logo que entramos no Delta-A impressiona, o cheiro dá náuseas. Há alguns respiros, como se pode ver nas fotos (feitas pelo Mattheus e por mim) para saída do gás metano proveniente do chorume, que é queimado; sua poluição é três vezes maior que a do gás carbônico derivado da queima. Depois disso, demos a volta na montanha e daí se têm a noção da dimensão do aterro (450 mil m2, eles usam a “medida referencial padronizada” no Brasil, 3 campos de futebol).

É para parar e pensar. Em funcionamento desde 1992, com a capacidade de 40 metros de altura de lixo ultrapassada, com um volume de recebimento diário de 900 mil toneladas de lixo, 17 anos em funcionamento (quatro a mais do que o previsto) para onde enviaremos nosso lixo? A mensagem do LixoTur é: separem o lixo, é menos danoso para todos e custa mais barato _ pagamos no IPTU uma cota para a coleta de lixo (vejam em seus carnês). Somente 2(de cada 100kg) são separados (a prefeitura faz a pesagem do lixo separado e o não-separado para se ter uma idéia do quanto a coleta seletiva está sendo praticada pela comunidade campineira).

Um momento bastante relevante do passeio foi a passagem por uma cooperativa, no Jardim Satélite Íris, que já existe há 8 anos, de onde Dona Maria José tira seu ganha-pão desde então, ajudando no sustento de sua família, a única formalmente empregada. Muito vergonhosa não quis que filmássemos, mas muito simpática conversou conosco. Muita gente daquela região depende desse lixo, eles foram capacitados para a profissão, o posto de saúde foi a ponte para essas pessoas terem essa oportunidade, e de uma certa maneira ela têm na ponta da língua o discurso pronto do problema da terra para as gerações futuras, mas com a confiança no decorrer do bate-papo, D. Maria José diz que é preciso uma força política maior para que o trabalho dos cooperados seja melhorado e aumentado, que as empresas comprem aquele material (que é muito pouco valorizado financeiramente, geralmente cotado em dólar) e acima de tudo, a consciência da população em separar melhor o lixo, diz ela que grande parte do que vai pra cooperativa volta para ser enterrado no aterro.

Além da oportunidade de conhecer o “destino” do lixo, alguns dos alunos presentes(Mattheus e Bianca) puderam também conversar com a equipe da Band presente e recolher algumas dicas sobre o trabalho jornalístico, porque a educação do jornalismo depende muito da mídia e da intenção.

O trabalho no LixoTur é de extrema importância, porque só efetivamente temos noção de algo quando vivenciamos. Mas o que poderia tornar esse trabalho que já é feito há 10 anos mais efetivo em termos de abrangência e acesso? O ônibus gratuito vai deixar de existir. Será que somente a separação do lixo resolveria o problema? Será que informar que além da reutilização e reciclagem do lixo, o primeiro “R” da lista dos 3R é reduzir? Separar o lixo por cores mundialmente convencionadas, isso basta? Podemos então usar “recursos” como bem entendemos, afinal a natureza existe para isso mesmo, para nos servir, então basta não esquecer de separar seu lixo, mas mesmo assim, seu imposto não vai diminuir no carnê do IPTU, ficaremos trocando de aterro, inutilizando imensas áreas produtivas, mudando de lugar, e assim como relatado em alguns desenhos animados, tipo o longa-metragem de animação, Wall-e, que descreve a situação da quantidade de lixo no planeta, no futuro, quem sabe chegarmos ao ponto de termos de ir embora da Terra. O Delta-B entra em funcionamento em 2010, desativando aquela colina de lixo.

Esse trabalho da prefeitura não pode perder a força que tem e a educação ambiental transformadora, crítica e emancipadora, tem de envolver a vida dos pequenos e dos grandes cidadãos a ponto de transformarem sua maneira de pensar e refletir nas suas atitudes, ações diárias e não somente na semana do meio ambiente, como podemos valorizar isso? Alguma sugestão?

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Show Musical Infantil - Tatiana Rocha




Tatiana Rocha surpreendente e se define como:
Uma mulher igual tantas outras por aí. Guerreira por necessidade. Mãe por opção. Cantora por acaso. Sou valente, tenho a boca suja e honesta, meu ombro é largo e agüenta bons trancos. Não tenho medo de trabalhar, de cara feia, de ameaça de macumba, de levar tapa na cara. Já levei, por sinal. Mas posso chorar copiosamente com um menino sentado no meio da calçada e isso me estragar o dia. Sou basicamente uma pessoa que realmente tenta ver o lado legal das coisas e eu acho que isso faz com a energia à minha volta fique melhor. Para mim e para os outros. Sabe, eu acho que aprendi a ser feliz sendo uma pessoa comum.
retirado de: http://coisarara.blogspot.com/2007/01/entrevista-com-tatiana-rocha-por-marina.html

Os alunos, da quinta série, da Escola Estadual Telêmaco Paioli Melges, prestigiou o show participando e cantando. A música emocionava e envolvia os presentes que acompanhavam atentos a tudo.

Até o tempo colaborou, veio o vento e carregou as densas nuvens que emocionadas deixavam respingar algumas gotas nos pequenos espectadores que procuravam observar e escutar. Para nossa felicidade o show transcorreu com muita alegria e conscientizando as pessoas através da música que sensibilizou a todos.

Por: Hugo e Leticia

Informações sobre os Circuitos Educadores: é nesse final de semana, participe!



Clique para ver quais são os circuitos, onde são os locais de saída e horários. Esperamos a todos por lá, para conhecer Campinas com um outro olhar!

quinta-feira, 4 de junho de 2009

AQUECIMENTO GLOBAL





Entrevistamos a biologa, Mariangela Formenti, ela trabalha há 17 anos no Bosque dos Jequitibás, ela não é so uma excelente biologa como tambem uma otima cidadã, estava nos falando
da importancia da preservação do meio ambiente, e que nosso país é excelente em questão de ecossistema e que so o que nos falta é a concientização.
Tambem nos falou um pouco sobre as reuniões que contem um representante de cada pais e lá eles discutem sobre o aquecimento global, países como os Estados Unidos e a China falaram que era para deixar o planeta como esta, mas se formos ver em uma planilha iremos ver que eles estão no topo da lista dos pais que polui mais.
Tinhamos uma curiosidade, perguntamos e ela nos respondeu com muita certeza." Você acha que o planeta terra pode chegar a temperatura igual a de marte?"
ela nos respondeu que sim e que estudos comprovam que até o final do século nosso planeta pode ficar sim igual a marte.
Participaram: Murillo , Gislaine Alves, Ana Paula, Saillon
Por: Karina Marques


O Pulmão de Campinas


A Mata de Santa Genebra é o maior remanescente de Mata Atlântica do município de Campinas, e a segunda maior floresta urbana do Brasil, ficando atrás apenas da Floresta da Tijuca, no Rio de Janeiro. Possui uma área de 251,77ha, altitude média de 670m e temperatura média anual de 20,6ºC. É definida como uma floresta semidecídua (plantas que perdem parcialmente suas folhas na estação seca) e foi declarada ARIE (Área de Relevante Interesse Ecológico) pelo Governo Federal em 1985.
Por:Matheus Gonçalves

SEMINÁRIO EDUCAÇÃO AMBIENTAL








Um dia muito lindo e frio, dia 04/06/09 saimos da Escola Estadual Telemaco às 8 h. Chegamos à Estação Guanabara para o Seminário Educação Ambiental. Quando chegamos a professora Rosenilze dividiu todos os alunos em 3 equipes para entrevistar as pessoas do coletivo educador ambiental.
Entrevistamos muitas pessoas e fizemos várias amizades.
A Cida, Benedita Aparecida de Moraes, educadora ambiental, moradora na Vila Pompéia.
Elogiou o blog e disse para nos prepararmos melhor para o ano que vem.
Acho que está legal,onde estou,estou com o blog aberto para ver o que vocês fizeram no blog, disse ela.
Para ela Semeia é porque todos plantam uma semente e está semente vai semear. A divulgação poderia ter sido melhor pois o mundo está numa situação que precisa chamar a atenção e cuidar do meio ambiente.
A Semeia da possibilidade das pessoas trocarem experiências sobre educação ambiental. Acho muito importante uma pessoa aprender com a outra.
Segundo a Senhora Vania Lardo de Carvalho, Professoara universitária e Bibliotecaria, Jardim Chapadão, houve falta de organização e nesta organização está faltando comunicação, mas estou achando tudo muito interessante. O projeto poderia chamar mais atenção se fosse melhor divulgado porque estamos na semana do meio ambiente. Pricipalmente porque “O dia mundial do meio ambiente é dia 5 de junho”. Na opinião da professora foi importante a preocupação em ilustrar os vários lugares de nossa cidade, por exemplo: Parque ecológico, Parque das águas e outros.
Wagner Coelho da Luz morador em Limeira. Acredita que devemos preservar a natureza e os animais. Melhorar o meio ambiente, educar as pessoas para que não sejam tão egoistas. Consumir menos para não gerar tanto lixo, explicou que os materias de celular pode matar. E sobre a necessidade de separar o lixo, como é importante separar os alimentos e fazer uma compostagem que é a energia da comida.
Ademilde, moradora do Jardim Proença, professora de ciencias na Escola Estadual Parque São Jorge: Acredita que é preciso reciclar materias como plástico, vidro, papel diminuindo o consumo de águs, energia eletrica, plantando mais árvores, preservando o solo e atmosfera, não usar agrotôxicos, praticando agricultura organica
Julio Cesar, Secretário do meio ambiente da prefeitura, falou sobre a importancia de não cortar árvores, e que é necessário plantar todos os dias, não jogar lixo nas ruas, nos rios, reciclar, economizar água, enegia eletrica, preservar os animais e não matar.






Participaram: David Cruz, Leonardo Bordom, Graziele Souza, Vinicius Borges. Ingrid Costa, Alison Silva, Gislaine Silva






Por: Aline de Souza, Thainá Silva, Joyce Ramos

quarta-feira, 3 de junho de 2009

Quinta-feira 04-06-2009: Seminário de Educação Ambiental

ABERTO AO PÚBLICO
HORÁRIO: 08:00h às 12:00h e 13:30h às 17:00h
No período da manhã haverá mesa redonda com representantes das Secretarias de Meio Ambiente e Educação e do COEDUCA e no período da tarde, dialogo sobre os rumos da Educação Ambiental no município.
REALIZAÇÃO: Secretaria de Meio Ambiente, Educação e COEDUCA
LOCAL: Estação Guanabara. Rua Mário Siqueira, 829 – Jardim Guanabara

Flagrante - Vivência no Parque Ecológico

Julia Pallandi, ensinando a criançada como plantar.
Por: Kelen Cristina e Vanessa Cristina

Um dia no Viveiro

Outro evento que vale a pena conferir é “Um dia no viveiro”, que acontece no parque ecológico Monsenhor Emílio José Salim em Campinas, sim caro leitor, pouca gente sabe, mas nossa cidade tem um parque ecológico. Lá acontece uma visita ao viveiro de mudas e também se aprende a cultivar plantas do tipo Jurema e Pau Brasil.Apesar de ser um lugar super legal e bonito é pouco visitado.Hoje presenciamos a visita de algumas crianças do projeto “Guardiões da Natureza”, as crianças aprenderam a plantar suas próprias mudas e conheceram várias espécies de plantas medicinais e outros tipos de plantas muito interessantes. Para reforçar o parque ecológico fica na Rodovia Heitor Penteado Km 3,5 e a entrada é gratuita. Compareçam é muito legal.

Por: Hugo Brandão e Patrick Brendel.

Palestra Pragas Urbanas




Na palestra sobre pragas urbanas recebemos algumas orientações sobre como evitar a dengue e o piolho.



Dicas de como se prevenir do piolho



Os piolhos são insetos sem asas, de coloração escura, tamanho pequeno e que se alimentam exclusivamente de sangue humano. Pertencem a Ordem Anoplura e também são chamados de piolhos sugadores. Seus ovos são endurecidos e de coloração branco perolada e são vulgarmente conhecidos por lêndias. Estas são depositadas no fio de cabelo, próximo ao couro cabeludo. Os locais preferidos para postura são no cabelo da região da nuca e próximo as orelhas, porém, as lêndias podem ser encontradas aderidas aos fios de cabelo de toda a cabeça. Após cinco a quatorze dias da postura dos ovos nascem as ninfas, que são muito semelhantes aos piolhos adultos. Estas crescem e trocam de pele três vezes, isto é, sofrem três mudas antes de atingirem o estágio adulto. Quando adultas, as fêmeas depositam de 50 a 100 ovos antes de morrer. O ciclo de vida completo de um piolho dura aproximadamente um mês.
A infestação ocorre através de contato direto com objetos infestados com piolhos, tais como chapéus, escovas de cabelo, pentes, travesseiros, encostos de cadeiras, assentos de carros ou contato com pessoas com piolho.
O controle convencional se faz pelo uso de shampoos, ou loções próprias para o tratamento de piolhos, que matam tanto as lêndias quanto os piolhos. Durante e após o tratamento, toda a roupa de cama e toalhas de banho da pessoa infestada devem ser lavados com água bem quente.
Curiosidades:
Piolhos não gostam de cabelos oleosos, desta forma, quanto mais lava-se o cabelo, mais adequado este fica para os piolhos.
Os piolhos fixam-se melhor nos cabelos lisos. Desta forma, pessoas com cabelo crespo têm menor probabilidade de pegar piolhos. Na África, porém, as espécies de piolhos que lá ocorrem estão adaptadas a fixarem-se nos cabelos crespos.
Ocultação: As crianças tem vergonha de falar para as outras que tem piolhos e acabam prejudicadas porque todos pegam. O importante é tratar e evitar o piolho.
O piolho não é tirado da cabeça da criança com todo tipo de remedio é tirado com muita paciência e tem que ter muito cuidado. Os piolhos não só ficam nas cabeças, também no corpo e pode matar porque ele transmite dois tipos de doenças. Tem piolho que fica na roupa. E no animais é outro tipo de piolho.

Fonte: Pragas On Line (http://www.pragas.com.br/)




DENGUE




A dengue é uma doença febril aguda. A pessoa pode adoecer quando o vírus da dengue penetra no organismo, pela picada de um mosquito infectado, o Aedes aegypti. Se o mosquito estiver infectado, o período de incubação varia de 3 a 15 dias, sendo em média de 5 a 6 dias. Os sintomas mais comuns são febre, dores no corpo, principalmente nas articulações, e dor de cabeça. Também podem aparecer manchas vermelhas pelo corpo e, em alguns casos, sangramento, mais comum nas gengivas. No caso de pacientes com Febre Hemorrágica do Dengue (FHD) devem ser observados cuidadosamente para identificação dos primeiros sinais de choque, como a queda de pressão. O período crítico ocorre durante a transição da fase febril para a sem febre, geralmente após o terceiro dia da doença. A pessoa deixa de ter febre e isso leva a uma falsa sensação de melhora, mas em seguida o quadro clínico do paciente piora. Em casos menos graves, quando os vômitos ameaçarem causar desidratação, a reidratação pode ser feita em nível ambulatorial. É um sério problema de saúde pública em todo o mundo, especialmente nos países tropicais como o nosso, onde as condições do meio ambiente, aliado a características urbanas, favorecem o desenvolvimento e a proliferação do mosquito transmissor, o Aedes aegypti. Mais de 100 países em todos os continentes, exceto a Europa, registram a presença do mosquito e casos da doença.




Fonte:http://portal.saude.gov.br/portal/saude/






Participaram: Saillon, Murillo




Por: Thayná Silva, Joyce Ramos




Reportagens da Aline

Nome:Rosenilze Aparecida Degrossoli de Souza.
Profissão: educadora ambiental e pedagoga.
Sobre o SEMEIA: É uma oportunidade muito boa, principalmente porque os alunos entrevistaram as pessoas.
Moradora da Vila União que é um dos poucos bairros que tem espaço para fazer um parque ecológico. Alguns anos atrás a população se organizou e conseguiram o centro de educação ambiental na rua Mario Giannini. E agora eles gostariam que fosse transformado em um parque ecológico.


Nome:Bianca França.
Onde mora:C.D.H.U.
Eu achei o passeio super interessante, porque eu não achava que o lixo da minha casa ia ser reaproveitado, eu gostei de tudo, pois a força de vontade dos trabalhadores dali é muito legal. Eu acho que precisa melhorar ono c.d.h.u, as pessoas que jogam o lixo nas ruas parassem e ter tambores no bairro, nas escolas, pois lá é muito poluido.
Precisamos tambem parar com as queimadas que são constantes e plantar várias arvores.
Nome:Marcia Aparecida Felizardo.
Profissão:ajudante de veterinário.
O que você achou da palestra?
ótima.
Sobre que assunto ele falou??
Piolho e Dengue.
O que você achou de mais interessante ?
Que ele falou sobre o assunto da leishmaniose.

Você sabe alguma coisa sobre a dengue??
Que não pode deixar água parada, não deixa a caixa d¨água aberta e etc...
que os sintomas são dores no corpo,febre,dores na cabeça e outros.

Por: Aline

Zoonose

Entrevistamos a Senhora Floriza dos Reis, ela é auxiliar técnica do laboratório de zoonoses municipal e trabalha lá ha 17 anos. Zoonoses é toda a doença transmitida do animal para o homem. Como por exemplos a Raiva que é transmitida do cachorro para homem, febre maculosa que e transmitida do carrapato para o homem, dengue que é transmitida do mosquito para o homem, a leptospirose do rato para o homem, etc.
Ela nos falou também que a aranha marrom apesar de ser muito pequena ela perigosa, uma coisa que vimos que achamos interessante e perguntamos, foi sobre a Coral Falsa que não é um animal peçonhento, e uma coisa que muita gente tem duvida é como saber se ela é verdadeira ou falsa ela falou que a coral falsa não tem a foçeta loreal. Foçeta loreal é um buraco que ela tem bem na região da cabeça.

Insetos peçonhentos:

Lacraia uma animal super perigo que pode chegar a matar crianças e idosos.
Os escorpiões se alimentam de insetos vivos como, por exemplo, baratas.
Amblyomma cajennense o transmissor da febre maculosa, pode botar de
3 a 5 mil ovos e depois eles morre.

Ela nos justificou que tem muitos animais que chegam lá em situação critica mas muitos tem que ir para outro local porque a prefeitura não tem estruturas adequadas.

Por: Karina Marques, Jéssica Carvalho e Ana Paula Silva

ATERRO DELTA-A







Hoje iniciamos as nossas atividades no DLU (Departamento de Limpeza Publica), fomos recebidos pelo Senhor José Custódio que apresentou aos alunos uma palestra sobre o funcionamento do Delta-A (Aterro Sanitário de Campinas), coleta seletiva do lixo. Seguimos para o Aterro Sanitário Delta-A, local para onde são destinadas cerca de 900 toneladas de lixo produzido diariamente em Campinas, Delta-A conta com uma Estação de Tratamento Biológico de chorume, liquido de alta carga poluidora,que causa sérios danos ao meio ambiente,com esse tipo de tratamento, realizado no próprio aterro reduzindo em 70% de liquido poluidor do chorume.
O chorume bruto (sem tratamento),passa por uma lagoa anaeróbia (sem oxigênio), percorre em seguida, duas lagoas aeróbias (com oxigênio), um decantador é um leito de secagem e após o tratamento, é lançado por meio de um emissário no corrego Piçarrão.
O único tipo de lixo que não vai para o aterro sanitário delta-A é o lixo reciclado, encaminhado para seis cooperativas de trabalhadores.
O Engenheiro Fábio Cardoso iniciou o trabalho da coleta seletiva em 1979, o Senhor José Gonçalo dos Santos nessa época era motorista, e acompanha o trabalho até hoje. Ele é instrutor e leva os alunos das escolas para visitas no Delta-A.




Participaram da atividade: Leonardo, David, Grazyelle.




Por: Aline Souza, Gislaine Alves, Matheus Gonçalves.

terça-feira, 2 de junho de 2009

Parque das Àguas

A manhã dessa terça-feira estava fria, mas isso não desanimou os alunos que saíram rumo ao Parque das Águas localizado na Região Sudoeste de Campinas. O Parque Prado nasceu da transformação de uma antiga fazenda de café. Atualmente, apresenta vários empreendimentos habitacionais já implantados, além de grande estrutura de serviços e comércio. O plano de desenvolvimento da área concebido pelo arquiteto Fábio Penteado, levou em conta um plano viário articulado e a preservação de uma grande área verde com vegetação original de mata com aproximadamente 260.000 m². Todos estavam alegres, empolgados e brincando na Van. A chegada ao parque foi emocionante, pois a paisagem além de linda dava um contraste muito grande com os prédios que havia em volta. Chegando ao local conversamos com o coordenador Murilo que nos recebeu muito bem e explicou a história e a estrutura do parque. A primeira parte do parque foi inaugurada em dezembro de 2007. O parque é temático e é dividido em três partes, a primeira é voltada para a diversão, a segunda é para o conhecimento onde se encontra um aquário de 280 mil litros de água e a terceira é onde ficam as nascentes do parque. O parque foi patrocinado por empresas privadas, mas todos podem visitar o parque, pois ele é aberto para a comunidade. Caminhando pelo parque os alunos puderam ver várias espécies de plantas como Vitória-Régia da Amazônia, o papiro do Egito que para os que não sabem foi a primeira planta usada para fazer papel, Lótus da Índia e muitas outras lindas. Chegamos ao parque sensitivo que como o próprio nome diz serve para mexer com os nossos sentidos. O parque ainda não está totalmente construído, e é um bem que será muito valioso para a população.

Por: Patrick Brendel.

Tenda do Saber, Tema: Poluição nas águas.


Hoje fomos ao Bosque dos Jequitibás, para participar do evento “Tenda do Saber”, aprendemos como reutilizar o nosso óleo de cozinha, fazendo sabão caseiro, pois a cada vez que jogamos esse óleo na pia de nossa cozinha ou em nosso vazo sanitário essa água fica muito difícil de ser tratada, pois cada litro de óleo jogado polui um milhão de litro de nossa água.
Segue para todos: a receita do sabão caseiro
Para fazer sabão caseiro reutilizando óleo de cozinha já usado, você precisará de:
¨ 5 lts de óleo usado
¨ 10 lts de água fervente
¨ 200 ml de amaciante ( ou um copo americano de sabão em pó)
¨ 1 kg de soda cáustica em escamas.
¨ Se quiser cheiro bom, coloque 5 ml de essência..
Você deve colocar com muito cuidado a soda no fundo de um balde plástico, acrescentar a água e mexer por 40 minutos sem parar. Em seguida, adicione o óleo. Depois é só colocar o amaciante e misturar bem. Despeje numa forma e espere secar para o corte.

Então fica ai, uma sugestão para que todos participem ao longo dessa semana das atividades, no Bosque dos Jequitibás vai ter Big Brother, e Tenda do Saber, lembrando que na Tenda do Saber cada dia é abordado um tema diferente. As atividades amanhã serão das 09:00 às 12:00 hras.
Por: Hugo Brandão, Kelen Cristina, Vanessa Cristina, Willian Lima.








Coeduca na Semeia 2009:''Abertura''

Em uma noite de segunda-feira, algumas pessoas ignoraram o frio para estarem presentes na abertura do Semeia 2009 - Semana do Meio Ambiente de Campinas,que aconteceu no Centro de Convivência de Campinas e contou com a presença do vice-prefeito Demétrio Vilagra, entre secretários e professores.

Encontramos Mohammed Habib, professor-titular do Instituto de Biologia da Unicamp e perguntamos o que era sustentabilidade e Desenvolvimento sustentável do seu ponto de vista.Veja a seguir:

- Sustentabilidade é quando nós falamos do envolvimento da economia e o meio ambiente.A relação inteligente do homem com o ambiente que pode explorar os recursos naturais, pode fazer uso daquilo que a natureza produz desde que ele também deixe o ambiente em condições viáveis para que as próximas gerações também possam fazer o mesmo uso do ambiente e dos recursos naturais.

- Desenvolvimento Sustentável seria a construção de metodologias de práticas e de processos que tornam a vida do homem e a sociedade humana devendo ter cada vez mais uma qualidade de vida melhor em termos de conforto, saúde, alimentação e em termos de relações sociais.

No entanto, esse conforto, essa melhoria e esse desenvolvimento todo tem que ser sustentáve no sentido de não prejudicar o ambiente, os recursos naturais, a qualidade do ar, água, do solo para também para que as futuras gerações venham poder viver com o mesmo padrão, com a mesma qualidade de vida que utilizamos hoje.

Kelen Cristina, aluna da EE Dr. Telêmaco Borges Melges

segunda-feira, 1 de junho de 2009

ECO brinquedoteca




Ao chegarmos a ESTAÇÃO GUANABARA, encontramos e entrevistamos o coordenador do Centro Cultural de Inclusão e Integração Cultural do Cis Guanabara e também professor, Cesar Nunes.

E também entrevistamos Tereza Mirian, professora da rede municipal de Campinas que faz jogos e brinquedos que reaproveitam materiais que iriam pro lixo.

Mirian começou a se interessar pela sucata dando aula. Na falta de alguns materiais ela começou a criá-los. Ensinando seus alunos mas também brincando com a sua criatividade.

Jogamos vários jogos muito interessantes, simples, mas também pedagógicos, usando matérias escolares como matemática, português, artes, geografia e história.

Copinhos, garrafas pet, panos e lacres, todos esses materiais podemos reeutilizar e criar vários brinquedos e ajudar o meio ambiente pensando no dia de amanhã.

Venham conhecer o trabalho da Zamira que estará sexta-feira e tambem participar da SEMEIA.
ANDRESSA DOS SANTOS DE JESUS
BEATRIZ PINHEIRO DOS SANTOS
LARISSA VIANA DIAS
CIRCUITO EDUCADORES SÓCIOAMBIENTAIS

Roteiros de caminhos para serem percorridos a pé, partindo de uma instituição “âncora”, conhecida e frequentada pela população. Esse roteiros passam por locais das imediações, nos quais é possível reconhecer e conversar sobre várias questões socioambientais de nossa cidade. Alguns exemplos:

* Lixo, consumo e consumismo;
* Uso inadequado da água;
* Desigualdades sociais;
* Planejamento urbano e abandono de áreas públicas e privadas;
* Destruição de áreas verdes;
* Desenvolvimento sustentável.

Os circuitos educadores socioambientais serão realizados em parceria com as "instituições âncora". O Coeduca estará participando dos circuitos por meio da formação de monitores-guias e do acompanhamento dos roteiros junto aos monitores que passaram pela formação .

Público: em geral.
A formação, voltada para público interno – monitores das instituições âncora proponentes dos circuitos e monitores-guias do COEDUCA que acompanharam o desenvolvimento dos circuitos educadores, ocorreu no período de 20 a 30 de maio de 2009.

Local da atividade: Diferentes localidades do município de Campinas

Circuitos:
1. Anhumas – Parceria EE Profa Ana Rita Godinho Pousa/ Projeto Anhumas na Escola
2. Fazenda Santa Elisa - Parceria IAC
3. Mata Santa Genebra - Parceria Fundação José Pedro de Oliveira
4. Bosque dos Jequitibás - Parceria Museu de Historia Natural do Bosque dos Jequitibás


Instituição: COEDUCA Coletivo Educador Ambiental de Campinas
Responsáveis: Sandro Tonso, Alessandra Buonavoglia Costa-Pinto e Cida Cardoso

Programação dos Circuitos Educadores Ambientais:


SEMANA DO MEIO AMBIENTE 2009: CAMINHADA NA MATA SANTA ELISA

Data: 06/06/2009
Manhã: 9h ás 10H 30min
Tarde: 15h às 16h 30min
Saida: PORTARIA DA FAZENDA SANTA ELISA - IAC
Av. Theodureto de Almeida Camargo, 1500 - V. Nova (19) 3241 5188
FAZENDA SANTA ELISA – IAC/COEDUCA

SEMANA DO MEIO AMBIENTE 2009: : CIRCUITO EDUCADOR “BOSQUE DOS JEQUITIBÁS

Data: 06/06/2009 e 07/06/2009
Manhã: 9h e 10 h
Tarde: 14h e 15h
Saida: Portão principal do Bosque
COEDUCA/MUSEU DE HISTÓRIA NATURAL

SEMANA DO MEIO AMBIENTE 2009: : CAMINHADA MONITORADA NO PARQUE DAS ÁGUAS

Data: 06/06/2009 e 07/06/2009
Manhã: 9h às 11 h
Tarde: 14h às 16h
Saida: Ponte no início da mata
COEDUCA/PARQUE DAS AGUA

SEMANA DO MEIO AMBIENTE 2009: PASSEIO “NOVOS OLHARES” NA MATA SANTA GENEBRA
Data: 06/06/2009
Horário: 14h
Traje obrigatório calça comprida e sapato fechado
Mais informações: www.santagenebra.org.br Tel: 3249-0721
Fundação José Pedro de Oliveira - Mata de Santa Genebra/COEDUCA

SEMANA DO MEIO AMBIENTE 2009: PERCURSO ÀS MARGENS DO RIBEIRÃO ANHUMAS
Data: 06/06/2009
Horário: 9h
Saida: Escola Ana Rita (Rua Benedita Franco Gomes, 165)
Traga água; use chapéu/boné e um calçado confortável

Memórias sobre a Estação Guanabara



Um dos locais onde está sendo realizada a Semeia é o Centro Cultural de Inclusão e Integração Cultural - o Cis Guanabara. Para recordar (quem já conhece) e apresentar (para quem está chegando), esse centro cultural fica na antiga estação da Mogiana foi inaugurada em 1893 e desativada em 1974.
Entrevistamos a educadora ambiental e pedagoga Rosenilze Aparecida Degrossoli de Souza, que é professoa da Escola Estadual Telêmaco Paioli Melges, do bairro CDHU-San Martin, participante da cobertura da Semeia nesse blog. Confira:

"Tenho uma memória ligada à estação. Meu pai, Laurindo Degrossoli, trabalhava na estação há muitas décadas atrás. Eu vinha trazer marmita para ele quando era criança, com a minha mãe, Beralda Marta Menezes Degrossi; morava na Vila Nova, que não é tão distante do Guanabara, numa caminhada de mais ou menos 30 minutos.

Isso deveria ser na década de 1960. As ruas principais, como a avenida Brasil e a Barão de Itapura, já tinham asfalto. Mas havia ainda muitas ruas de terra. Haviam muito poucos carros na rua. No Timbó, lá no Guanabara, parávamos para tomar refrigerante, e era caro - para nós, uma grande novidade que não tomávamos todo dia.

Depois de muitos anos, já na década de 1980, eu sentava e chorava ao ver o prédio da estação. Uma referência da minha infância e juventude destruído. Mas depois desse impacto de ver tudo destruído, voltei para um seminário do Coeduca, quando o prédio foi restaurado. Veio um sentimento de pertencer a esse lugar... e coincidiu com um ciclo da minha vida, pois estava terminando a formação de educadora ambiental pelo Coletivo Educador de Campinas.

Hoje em dia as pessoas não se conversam mais, então se perde o vínculo com o passado, como era viver em Campinas, como eram as nossas casas. Nossa cidade está sendo apagada da memória das pessoas. Não é mais a cidade que eu nasci...

Essa cobertura está sendo interessante porque trazemos jovens alunos que não conhecem esse pedaço da história de Campinas. É muito importante que as pessoas que vivem, moram aqui, que saibam nossa história. A Estação Guanabara faz parte da Semeia.

Aproveitem o momento dessa semana e venham prestigiar a programação da Semana de Meio Ambiente que está sendo realizada aqui!"